Entrevistas

EXCLUSIVO – Jackson Wang Está Ficando Pessoal Com Sua Música Solo De Um Jeito Grande

Jackson Wang está ocupado galera. Ele passa metade do ano na Coreia como parte do grupo de K-Pop, GOT7, e a outra metade na China (seu país natal) trabalhando na sua música solo. A rotina do Wang tem sido assim nos últimos anos, entretanto, isso pode ser cansativo, tentar encaixar o equivalente de dois anos de agenda em um, vale tudo a pena para o Wang. Ele não tem planos de parar tão cedo. Na verdade, antes do GOT7 fazer seu próximo comeback, Wang irá lançar seu primeiro álbum solo, Mirrors, no final de outubro, e vai revelar um novo lado dele o qual vocês ainda não foram introduzidos. A música solo do Jackson Wang vem se tornando pessoal e as emoções do single do álbum Bullet To The Heart são apenas o começo.

Quando Wang lançou Bullet To The Heart no dia 24 de setembro os fãs logo assumiram que a letra era uma música sobre romance e coração partido, mas Wang estava mirando em algo mais profundo que isso.

Bullet To The Heart pode parecer uma música de amor se basearmos nas letras, mas a mensagem que quero trazer através da música é na verdade sobre a vida no geral,” ele explicou ao Elite Daily. “Problemas nunca irão acabar, só vão continuar aparecendo a cada capítulo das nossas vidas, nós sempre iremos enfrentar diferentes obstáculos. É como um demônio. Vai continuar vindo até você te fazendo ter momentos difíceis e te torturando.”

O duplo significado do seu single principal visto no clipe do Wang. Wang não usa adereços, sets iluminados ou coreografia intensa como os estão acostumados em ordem de contar sua história, em vez disso, no vídeo ele foca inteiramente em dois assuntos: Wang e uma mulher misteriosa em um véu que o controla (o “demônio” do qual ele estava falando, eu presumo). Wang se apoia somente em suas emoções através de suas expressões faciais e no simbolismo da sua blusa branca sem estampas, o qual ele diz ser uma representação de sua experiência com desafios da saúde mental para converter nos temas profundos da música.

“A razão pela qual eu escolhi a camisa branca sem estampas foi por causa que na verdade eu estava passando por um momento difícil. Eu estava com depressão, o que foi confirmado por um médico.” Wang espera que seu vídeo ressoe nos fãs que tem experiências com problemas similares e dê a eles coragem de cuidar da sua saúde mental. “Talvez há muitas pessoas fora de vista na sociedade que se sentem da mesma maneira e que não estão dispostas a reconhecer isso,” ele diz.

3415fe2e-b510-44ac-aa1e-0ea37c55561a-4769d1fe-9ffc-4136-820f-3c88ad2140bf-screen-shot-2019-09-24-at-12646-pm

Cada uma das oito músicas do primeiro álbum solo do Wang irá descrever diferentes sentimentos sobre dor. “Quando a dor me acerta, eu tenho oito diferente jeitos de senti-la, e oito reações diferentes a essa dor,” explica Jackson. “Bullet To The Heart é como quando a dor me acerta, e quase me mata, mas eu amei tanto a dor que escolhi continuar continuando.”

A direção imparável de Wang é o que também o estimula a perseguir sua paixão por projetos. Além de ser membro do GOT7 e trabalhar em sua carreira solo, WANG é o CEO de sua própria gravadora, Team Wang, que foi lançada em 2017. Wang admira o progresso que o Team Wang teve até agora (foram de 2 empregado em 2017 há quase 30 em 2019).

8961f909-8c8b-4c0c-9ebe-aa6e7804a6f9-getty-1128373254

Wang estabeleceu o Team Wang porque ele estava procurando por uma saída para suas ideias mais inovadoras. “As vezes as pessoas podem estar lá há negócios, as pessoas podem estar lá pelos números, pelo dinheiro, pelo lucro, mas o Team Wang não,” diz ele. “Todo mundo é tão dedicado a… produzir música melhor, produzir arte melhor.”

Wang está se esforçando mais e mais artisticamente com toda música lançada, o que Bullet To The Heart deixa perfeitamente claro.

Balancear projetos diferentes pode parecer muito, mas Wang quer reassegurar aos fãs que ele tem tudo sob controle. “No final do dia, você tem que desistir de algo em ordem de ter o que você quer,” diz Wang. Para quem estiver pensando que ele deva sair do GOT7 para focar na carreira solo permanentemente, Wang tem essa mensagem: “Não perca seu tempo pensando sobre isso. Isso não vai acontecer.”

Na verdade, Jackson diz que os membros do GOT7 tem sido realmente apoiadores de seu novo single. Compartilha Wang, “Nesse ponto, eu tenho lançado muitas músicas – mais de 10 eu diria – mas pela primeira vez é que eles vem até mim, me cutucando e dizendo ‘Oh, eu realmente gostei da música’.”

6bcaa104-e15b-4a77-95ae-f5199cdc1b34-getty-1082396618

Eu não duvido nenhum pouco da lealdade do Wang ao GOT7. Na verdade, quando conversando ao telefone com Wang, ele expressou excitação ao próximo álbum do GOT7. “Esse está tão sólido, eu estou tão animado,” diz Wang. “Nós vamos lançar outra obra prima.”

Até lá, os fãs podem esperar pelo álbum solo do Jackson Wang, Mirrors, que vai sair no final de Outubro. Ahgases, se preparem, porque #JacksonWang1stAlbum está quase aqui!

Fonte: Elite Daily
Trad.: JFlawless – Elo GOT7 Brasil

Não reproduzir sem os devidos créditos!

Entrevistas

“I Have a Lot Greed” [Arena Homme + Sep 2017] (Mark)

“Eu tenho muita ambição”

35805-255256-sample.jpg

Um jovem homem com muita ambição expressa a si mesmo ocupado. Não sendo capaz de expressar tudo, ele é impaciente. Mas Mark é diferente. “Eu gosto de me mover mais do que falar. Eu tenho muita ambição.” No quarto ano de debut dele, Mark que estará completando vinte e cinco anos logo, está se preparando calmamente para o próximo estágio de si mesmo. Espere por isso.

Nota: A “ambição” presente na entrevista significa a vontade/desejo de alguém de querer fazer algo.

Mark não fala muito. Ele é como os outros membros do GOT7 se declaram publicamente. Ele absorve qualquer coisa rapidamente. Primeiramente, as roupas. Como estávamos fotografando, Mark teve que fazer cinco trocas de roupas e com cada troca ele se movia num ritmo diferente na frente da câmera. Ele imediatamente soube que tipo de movimento combinaria com um estilo em particular, que tipo de lugar seria bom usando um certo tipo de chapéu, e ele expressou isso. Quando o perguntaram como ele era tão capaz disso, com uma risada envergonhada ele respondeu, “Eu sou assim; eu realmente não sei.” Mark parece não mudar ou enfeitar sua personalidade introvertida. No lugar disso, ele usa essa disposição com calma. Conservando suas palavras, ele pensa profundamente e com toda sua força reunida ele solta isso corretamente. “Eu não posso apenas passar meu tempo livre assim. Eu gosto de me preparar para alguma coisa.” Este jovem homem quieto, que se encontra deitado em sua cama conversando consigo uma coisa que lhe dá a maior das forças, revela em palavras para nós (sobre ele,) e parece que ele vai conseguir mais do que expressou.

AH: Você está descansando bem?

MK: Sim. Nossas férias estão perto do fim. Eu acho que nós logo vamos entrar nos preparativos das nossas promoções. Ao longo da nossa pausa, eu continuei assistindo aulas de mandarim e de atuação. Houve também momentos em que eu apenas descansei.

AH: O que você faz além de assistir aulas? Sendo uma pausa, você deveria fazer coisas que te tragam satisfação pessoal.

MK: Eu joguei, haha. Um jogo de computador.

AH: Por acaso “Overwatch”?

MK: Oh, sim. Na verdade, eu gosto de jogos de FPS, então isso é um pouco diferente, mas é divertido. Faz tempo que viciei num jogo.

AH: Você viveu em LA antes de vir pra Coréia, não? Eu ouvi que você sempre estava na praia no verão.

MK: Eu nadaria no mar com os meus amigos e nós jogaríamos bola. Eu andaria de skate também. Quando eu estava nos Estados Unidos eu gostava muito do verão. Depois da escola eu chamaria meus amigos pra nadar, eu dirigiria e nós iríamos a uma churrascaria e comeríamos até estarmos cheios… Nós brincamos assim.

AH: Como o jovem Mark era?

MK: Uma criança que não parava quieta. Eu sempre estou fazendo alguma coisa, sou ativo. Gosto de sair pra jogar. Jogaria basquete e andaria de bicicleta.

35805-255254-sampleM

AH: Parece que há uma grande diferença do Mark de agora. Uma vez Jackson disse “Ele é como um objeto no quarto”.

MK: Quando eu estou em casa fico parado, sou quieto. Eu gosto de me mover mais do que falar. Eu particularmente não gosto de ser barulhento. Os membros dizem que eu não tenho nada a dizer quando eles olham pra mim, mas honestamente eu sou sincero. Digo qualquer coisa que seja importante, digo qualquer coisa que quero dizer.

AH: Você não inventa as coisas antes de falar, certo?

MK: Tipo isso. Se tem alguma coisa que eu gostaria de falar pra alguém, eu vou falar, mas se não houver nada que vale a pena dizer, eu não direi. Também há momentos que eu não digo uma palavra, enquanto como com os membros. “Vamos comer,” “Okay”,e termina aí.

AH: Fora os apelidos que os fãs têm pra você, um deles é “Mark-stério”. É por causa do misterioso Mark.

MK: Eu? Eu sou misterioso?

AH:Esse apelido foi criado porque você não fala muito?

MK: Eu acho que sim. Eu sou misterioso? Eu não acho.

AH: Parece que ultimamente você tem se tornado mais familiarizado com a nossa língua e você tem expressado sua afeição pelos membros frequentemente. Parece que você se esforça bastante para ser bom na língua coreana.

MK: Até certo ponto? Haha. Eu dou voz aos meus pensamentos um pouco mais comparado ao passado. Eu costumava não dar voz as minhas opiniões se eu as tivesse. Eu não digo nada até mesmo quando coisas desagradáveis acontecem, mas ultimamente eu tenho falado mais.

AH: Não querendo falar sobre coisas desagradáveis, essa é a personalidade com a qual você nasceu?

MK: Sim. Honestamente, quando eu não estou me sentindo bem, é melhor ficar sozinho porque eu ficarei bem depois de um tempo.

AH: Parece que você prefere observar mais do que falar.

MK: Sim. Quando os garotos estão brincando, eu gosto de assistir de lado. Em vez de brincar com eles, eu gosto de assistir de lado.

AH: Observando continuamente, teria vezes onde você descobriria a diversão que os membros estão tendo e aproveitado isso no seu coração.

MK: Há vezes assim, isso difere da situação. O que eu descobri recentemente foi que eu pensei que o Jaebum era parecido comigo, que ele preferia observar de lado, mas não é o caso. Sempre que os membros fazem alguma coisa, ele finge que não está interessado, finge estar apenas olhando e aos poucos ele irá. “Eu vou também.” Em algum ponto ele brincaria junto e ele seria o mais animado de todos, é divertido.

35805-255255-sampleM.jpg

AH: Desde o debut, sua posição foi de rapper, mas depois você expressou uma ambição em cantar. Que tipo de música você quer tentar?

MK: Hm.. Cantando com sentimento. Nenhuma onde eu tenha que gritar uma nota alta, coisas tristes são boas também. Eu acho que músicas tristes seriam melhor que músicas com uma batida animada. Eu gosto de baladas, então eu escuto às vezes; eu não canto junto, só escuto elas.

AH: Não muito tempo atrás você disse que deu uma olhada nas músicas do NYSNC e Backstreet Boys para escutar. Não são músicas de quando você era muito jovem?

MK: Aos poucos eu tive esse pensamento: Quais grupos masculinos a música é popular entre as mulheres? Eu quero ouvir as músicas velhas. Fora todas essas músicas, eu só conhecia as músicas mais populares do NYSNC e do Backstreet Boys. Ouvindo elas de novo, há muitas músicas boas. Eu continuo ouvindo elas. As músicas boas até hoje, então significa que eles são fortes.

AH: Jinyoung e Jaebum estão se promovendo como uma unit, JJ Project. Você disse que eles estão fazendo bem e está torcendo por eles. Parece que você também pensa sobre coisas que você gostaria de fazer.

MK: As coisas que eu gostaria de fazer… Há muitas. Eu também gostaria de ter uma unit com um membro que canta (da linha dos vocais). Eu me daria bem com qualquer um.

AH: Ainda assim, há alguém no qual a voz combina mais com a sua?

MK:Hm.. Para mim, Jinyoung? Eu acho que a voz do Jinyoung e a minha combinam bem. Eu acho que o estilo de musica que eu gosto combina com o que o Jinyoung gosta também.

AH: Os outros membros do GOT7 escolhem você como membro mais ambicioso.

MK: Sim, eu tenho muita ambição. Também tenho muita ambição quando isso tem a ver com comida. Não o tipo onde eu roubo a comida dos outros membros. Apenas pareço ter muita ambição sempre que eu faço qualquer coisa.

AH: O Mark que eu vejo parece inteligente. Eu, sobretudo tive esses pensamentos quando eu assisti o Law of the Jungle.

MK: Eu realmente não sei. Eu sou assim?

AH: Sempre que você quer ajudar alguém, consegue rapidamente entender o que a pessoa precisa.

MK: Ah, voltando nisso, é porque todos nós precisamos sobreviver juntos independente do que seja. Tudo tem que ser feito rapidamente.

AH: Você descobriu sua especialidade lá? No que você acha que era bom na floresta?

MK: Acho que em nada. Por isso que eu trabalhei duro pra ajudar. Eu sou bom em nadar, mas a água era muito gelada, então eu não pude fazer isso. Desde o primeiro dia na floresta, eu pensei que precisava ajudar bastante. Uma vez que o Byoungman hyung estivesse tendo um momento difícil, pensei que deveria oferecer minha ajuda devidamente. Não muito tempo atrás, Byoungman hyung entrou em contato comigo. Ele disse para irmos para um país quente e nadar da próxima vez. Disse que me ensinaria a mergulhar, e se eu for da próxima vez, deveria falar um pouco mais. Eu acho que eu só trabalhei zelosamente.

35805-255253-sample.jpg

AH: “Nada mais para dizer”, “quieto”, “muita ambição”, etc. Todas essas coisas são ditas sobre você. Mas colocando tudo isso de lado, como você quer ser visto pelas outras pessoas?

MK: Como eu sou quando estou no palco. Eu rezo para que as pessoas não pensem que o GOT7 é um grupo que não pode fazer/que não consegue fazer bem. Espero que nós não nos deparemos com isso. Espero que as pessoas vejam o GOT7 como um grupo que trabalha duro e faz bem. Sou alguém que não consegue iniciar uma conversa com as pessoas, eu não sei. Entretanto, ainda acho que as pessoas não sabem quem eu sou. Há muitas vezes que ando pelas ruas e pessoas que não conheço me reconhecem, e chegam até mim, me dizem “olá.” Eu fico frustrado… Não sei como responder. Mas quando essas pessoas me veem assim, elas podem pensar desse jeito: “Ele pensa que está fazendo bem? Eu acho que ele pegou a síndrome de celebridade.” Mas sou assim porque não sei o que dizer, ou como responder. Entretanto, espero que as pessoas não me entendam mal.

AH: Em setembro é o aniversario de 25 anos do Mark. Se você não tiver nenhuma programação, o que você gostaria de fazer?

MK: Nós estamos entrando nas preparações para as nossas promoções, então eu acho que haverá programações. Mesmo que não houvesse, sempre tem trabalho no meu aniversário.

AH: É uma maldição? Sempre haverá trabalho no aniversário do Mark

MK: Ah, é o aniversário de debut dos hyungs do 2PM, 4 de Setembro. Tenho que comparecer nisso, tenho que fazer alguma coisa, não vou descansar.

AH: Como esperado, a real personalidade de alguém que não pode ficar quieto.

MK: Haha. Gosto de passar meu tempo em casa, mas também gosto de fazer coisas, me preparar para coisas.

 

Fonte: Ahgawings
Tradução:
Defgirl
Revisão: Jacke
Não reproduzir sem os devidos créditos!

Entrevistas

GOT To Be You: Uma Entrevista Exclusiva Com Bambam

interview-talk-bambam-banner.jpg

A calmaria antes da tempestade.

Eu pensei na expressão “A calmaria antes da tempestade” enquanto falava sobre a entrevista com um jovem tailandês que vive como cantor na Coreia. Do lado de fora dessa sala branca e silenciosa, onde o som da nossa respiração quase pode ser ouvida, um grande número de fãs estão esperando pela aparição do membro do GOT7, BamBam – Kunpimook Bhuwakul, para o Cola BamBam One Man Show. A atmosfera de felicidade, antecipação, e contentamento transborda e se misturam em frente ao palco. A corrente de amor foi se formando com horas de antecedência e vai se tornar muito mais alta quando o ídolo chegar.

Quanto a mim, eu estou na sala verde com poucas perguntas, poucos minutos para ter uma conversa exclusiva com ele, e a ansiedade toma conta de mim como se eu estivesse prestes a fazer uma prova.

Quando um impetuoso rapaz de cabelos vermelhos se sentou e me lançou um sorriso, ficou claro para mim.

Ali. Lá vem a tempestade.

interview-talk-bambam-5.jpg

APRENDENDO O QUE É A VIDA REAL.

O gráfico da vida de Bambam é diferente do que estamos acostumados. Enquanto outros estão no ginásio, Kunpimook , com seus 13 anos, deixou a Tailândia para ser um trainee na Coreia. Ele aprendeu idiomas, canto, dança e praticou suas habilidades de vida fora da sala de aula até ele debutar como um dos sete membros do GOT7 em 2014. Há um preço que se paga por começar a trabalhar com pouca idade. A infância é substituída por status, fama e fortuna, algo que muitos sonham.

“Existem (algumas) coisas das quais eu me arrependo e (algumas) coisas das quais eu penso que foi melhor dessa forma. O que eu me arrependo é de não ter vivido a infância. Eu não tenho amigos próximos na Tailândia. Esse período de tempo onde se faz amigos na escolar e depois ingressamos na universidade juntos foi quando eu estava em treinamento na Coreia. Contudo, foi bom começar a trabalhar quando ainda novo. Você ainda pode mudar se aquilo não for o ideal para você. Talvez tenha um pouco de desperdício, mas se tem muito tempo para tomar decisões.”

“A melhor coisa que me aconteceu após debutar foi fazer com que minha família viva melhor. Antes de debutar, minha casa era bem pequena. O telhado de zinco vazava sempre que chovia. Ser capaz de mudar o ambiente em que vivi e a casa é a melhor coisa.”

Bambam completou 20 anos neste ano e está entrando na fase adulta de acordo com o sistema internacional de idade. Ao mesmo tempo, a popularidade de GOT7 está constantemente crescendo. Suas músicas ganharam o primeiro lugar e eles receberam muitos prêmios de fim de ano. Com isso, o grupo recentemente voltou de uma tour por quatro regiões sendo Nakhon Ratchasima, Chiangmai, Bangkok, and Phuket. Eles são o primeiro grupo coreano a se apresentar pela Tailândia. O único membro tailandês trabalha com mais frequência no seu país natal e, às vezes, tem atividades solo como desta vez. Desde o dia em que debutou até hoje, é evidente que o rapaz cresceu física e mentalmente.

“Eu não tenho certeza se já sou um adulto ou não. Mas é certo que eu amadureci. Eu estou começando a aprender o que é a vida real. Penso que pude aprender antes dos outros com a mesma idade. A maioria estaria iniciando o segundo ano na universidade e não estaria lidando com a verdadeira sociedade ainda. Eu não tenho uma vida social na escola, mas eu tenho a possibilidade de conhecer muitas pessoas. Eu consigo aprender a me preparar para o futuro, o que fazer para me levar de onde estou agora até onde quero estar.”

interview-talk-bambam-2

interview-talk-bambam-4

APRENDENDO FORA DO LIVRO

Cantar, fazer rap, dançar, coreano e inglês – isso pode estar nas salas de prática da JYP, mas experiência de trabalho não pode ser ensinada. A vida sob os holofotes ensina ao Kunpimook a crescer extraordinariamente.

“Posso não ter aprendido pelos livros, mas eu aprendi muito fora deles – seja convivendo com as pessoas ou conduzindo a mim mesmo. Eu posso ser jovem, mas eu não passo o tempo vivendo minha vida como um jovem. Comecei a aprender como me comportar em inúmeras situações; o que fazer quando encontro um superior – quais são minhas responsabilidades e o no que eu preciso ser cuidadoso; quando preciso ter um tempo sozinho; como preciso passar meu tempo livre.”

“Esse tipo de indústria é altamente competitiva, não é fácil sobreviver nela. Quando eu era mais novo, eu apenas fazia o que me pediam. Agora, se eu tenho uma ideia diferente, eu vou tentar fazer aquilo que acredito. Algumas vezes funciona, outras não. Porém, quando aprendo com a vida, começo a ser capaz de ler o jogo e saber como jogar. Digamos que tenha um cronograma para um programa, alguém que não tem noção, não estará preparado e não saberá sobre o que é o programa, nem como se preparar. Não saberá o que dizer, e o que o público quer deles. Eu não sou um profissional 100%, mas eu comecei a entender o que a maioria quer de mim, o que querem que eu diga, o que eles tem curiosidade no que se refere a mim. Então, eu direi aquilo que eles querem ouvir, mais do que gostariam que eu dissesse.

Portanto, quanto da verdade tem naquilo que vemos? – Eu imagino. Se as atitudes de um ídolo nas telas ou nos palcos são parte de um roteiro, no momento em que as expectativas das Ahgases e fãs forem grandes, a identidade de Kunpimook desaparecerá?

“Não, eu não estou fingindo ou mentindo. Se eu tenho algo que elas queiram saber, eu conto. Se não há nada, eu digo que não há nada. Não há pressão. Se as pessoas passarem a ver como eu sou, começarem a ver quem realmente sou, então vou dizer a verdade e não apenas aquilo que querem ouvir.

interview-talk-bambam-3

interview-talk-bambam-1

ÍDOLO VS. PESSOA COMUM

Muitos anos de trabalho permitiram que Bambam enxergasse seu objetivo. O jovem homem sabe que quer continuar nesse caminho, mas ídolos e celebridades são de carne e sangue como qualquer outra pessoa. Bambam foi sincero ao dizer que há dias em que ele deseja ser apenas um adolescente.

“Algumas vezes eu quero acabar com tudo e voltar a ser uma pessoa comum. Há dias em que eu penso que se eu fosse uma pessoa comum, eu não teria que passar por tais coisas. É muito difícil explicar meu sonho e colocá-lo na prática de forma simples; eu quero ser uma inspiração para as pessoas. Muitos dizem que querem ser como Bambam hyung/oppa. então eu quero ser um ícone. Não apenas para as crianças que querem trabalhar nessa indústria, mas por trabalhar aqui, eu tenho que sacrificar muitas coisas, sacrificar minha liberdade em troca de fazer o que gosto, sacrificar minha infância. Então eu quero ser uma inspiração em termos de trabalho, e sobre ser paciente/perseverante. Mas eu não me coloco como uma super estrela, ainda sou eu. Eu fico louco no palco, e quando volto para casa, eu vou ao mercado local. (risos)”

Os olhos do cantor profissional estão vívidos e cheios de sinceridade. Em poucos minutos, Bambam do GOT7 vai sair e espalhar alegria para aqueles que o amam. O garoto de cabelos vermelhos fez contato visual comigo antes de claramente dizer:

interview-talk-bambam-6.jpg

“Eu quero que as pessoas gostem do verdadeiro eu. Elas não precisam me ver como nada, apenas como Bambam é suficiente. Se não gostarem, tudo bem. É melhor do que precisar fingir para que as pessoas gostem de você. Eu não gosto desse tipo de coisa, sou uma pessoa tranquila e não sou dramático. Não sou bom em expressar tristeza. Se alguém me dissesse ‘Bambam, chore’, eu não conseguiria fazer nem uma gota cair, eu não consigo chorar, precisa ser algo muito triste para me fazer chorar.”

O som das fãs que esperam Bambam pode ser ouvido do lado de fora da sala. Nossa conversa terminou com um sorriso de Kunpimook. Ele se levantou, preparando-se para ficar responsável por abraçar a afeição das pessoas como um profissional faria. Mantive a curiosidade sobre quando o Bambam havia perdido suas lágrimas assim que saí – passando por centenas de pessoas aguardando por ele com felicidade e esperança.

É hora da tempestade explodir.

interview-talk-bambam-10.jpg

 

Fonte: Ahgawings
Tradução:
Defgirl
Revisão: Jacke
Não reproduzir sem os devidos créditos!